terça-feira, 27 de junho de 2017

Pescadores retiram quase 2 mil quilos de lixo de rios do município

Projeto Rio Limpo da colônia Z-18 de Anastácio chega a sexta edição promovendo a consciência ambiental

O fim de semana foi marcado por mais uma edição da ação promovida pelos pescadores profissionais artesanais de Anastácio. A 6ª edição do projeto Rio Limpo marca a comemoração do Dia do Pescador e da Sustentabilidade Ambiental, celebrado no dia 29 de junho. Segundo os organizadores, 1.800 kg de lixo foram retirados das águas dos rios Aquidauana e Taquarussu.
Os profissionais da Colônia de Pescadores Profissionais Artesanais de Anastácio – Z-18 iniciaram a programação do projeto Rio Limpo, no domingo (25), com uma procissão fluvial em honra a São Pedro, às 7h. Os barcos partiram do Porto do Lucas – próximo à ponte Boiadeira e seguiram até a prainha de Anastácio. O padre Ervane Benedito de Souza realizou uma pequena benção. 
Os pescadores receberam o apoio de policiais militares ambientais e de homens do Exército durante a ação de retirada e pesagem do lixo. Restos de um fogão e uma máquina de lavar estavam entre o entulho retirado, além de muito plástico e outros materiais.  Partes de outros aparelhos eletrônicos também foram encontrados, como os de uma televisão e um rádio. 
A ação também é voltada para as crianças com noções de educação ambiental e a distribuição de presentes. A iniciativa também conta com a parceria de empresários da região e possibilitou a retirada de 10 toneladas de lixo dos rios que cortam o município. O projeto já é desenvolvido há seis anos.

Postado por: Giovana M. de Araújo

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Latrocínio é a possível causa da morte de empresário de Aquidauana



Ronaldo era muito conhecido na cidade de Aquidauana e Anastácio pela sua simpatia



As cidades de Aquidauana e Anastácio amanheceram perplexas com a notícia do assassinato brutal do empresário Ronaldo Batista, proprietário do estabelecimento comercial Restaurante Estação Pantaneira. Seu corpo foi encontrado pela Polícia dentro da piscina de sua residência em Anastácio, por volta das 3:00 da madrugada desta segunda-feira, 19/06.
A principal hipótese dos investigadores é que o empresário foi vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte), já que foram levados o carro e um valor estimado em dinheiro em espécie.
Filho de fazendeiros de Anastácio, Ronaldo, de 38 anos, morou por vários anos na Europa antes de voltar para a região e abrir o seu próprio restaurante.
A Polícia Civil está em busca dos suspeitos. O carro do empresário ainda não foi localizado. Ainda não foram divulgados o local do velório e nem do sepultamento.
Postado por: Giovana M. de Araújo

sábado, 6 de maio de 2017

10ª Festa da Farinha de Anastácio começa na próxima sexta-feira

Prefeitura | 05/05/2015
Faltam menos de 72 horas para a abertura oficial da maior festa da agricultura familiar de Mato Grosso do Sul, a 10ª Festa da Farinha de Anastácio, que esse acontecerá nos dias 8 e 9 de maio, no circuito oficial, a Rua Porto Geral.
O anfitrião da festa, o prefeito Douglas Figueiredo contou que desde a edição passada, ouvindo a opinião do público que frequenta o evento, foi detectada a preferência do público por um show com duplas sertanejas, alternando com o tradicional forró que é o som oficial da festa.
Diante dessa vontade do público, a Administração Municipal atendeu e já no dia 08, dia do aniversário da cidade, o show principal será com a dupla sensação do sertaneja universitário: Thaeme e Thiago, que devem subir ao palco por volta das 00h30min, cantar os sucessos e encantar a multidão que é esperada na festa.
Vale lembrar que, a sensação da festa é a praça de alimentação, que esse ano terá novidades gastronômicas da culinária nordestina. A partir das 18 horas o público já poderá degustar os melhores pratos da culinária nordestina, ver ao vivo a fabricação artesanal da farinha de mandioca e posar nas fotos ao lado do monumento oficial do evento, que é o maior saco de farinha de mandioca do mundo, com mais de 4 toneladas.
Nos  dois dias da festa, que é exclusivamente promovida pela Prefeitura Municipal, haverá show humorístico com a personagem sucesso da internet e do Multishow: Maria Quitéria. Pelo palco da festa artistas pratas da casa e a Banda Lilás também farão a festa com o público, tocando e cantando músicas boas e dançantes.
Por falar em dança, nas duas noites, após o fim dos shows no palco principal, a festa continuará na Tenda Caruaru do Forró, dentro do circuito da festa, na Travessa Ragalzzi.
No sábado, dia 09, a festa continua e o show principal será com dois nomes de peso do forró brasileiro, o primeiro é o cantor e sanfoneiro Amazan. Na sequência, o finalista do festival Super Star, da Rede Globo, Luan Forró Estilizado vai comandar a festa, prometendo colocar o povo para dançar. Nos dois dias a entrada é franca.
“A contagem regressiva para mais uma edição da Festa da Farinha de Anastácio já começou. São dez anos de sucesso. Me orgulho muito de poder trabalhar com toda a nossa equipe para realizar essa décima edição. Esperamos todos na maior festa da agricultura familiar de MS”, frisou o prefeito Douglas Figueiredo.
 

quinta-feira, 4 de maio de 2017


Com atração nacional e sem verba pública, Festa da Farinha começa dia 5

Decisão judicial proíbe que município realize evento

Osvaldo Junior
  • Imprimir
  •  
  •  



Grupo Falamansa, liderado por Tato (foto), que vai se apresentar na 12ª Festa da Farinha, em Anastácio (Foto: Divulgação)Grupo Falamansa, liderado por Tato (foto), que vai se apresentar na 12ª Festa da Farinha, em Anastácio (Foto: Divulgação)
Apesar de decisão judicial contrária, a Festa da Farinha em Anastácio, cidade distante 135 km de Campo Grande, ocorrerá neste ano. No dia 25 de abril, o juiz da comarca do município, Luciano Pedro Beladelli, proibiu a prefeitura de realizar o evento, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.
No entanto, a festa, que chega à sua 12ª edição, será realizada pela América FM e o Clube do Marketing.
A decisão da Justiça atendeu pedido do MPE (Ministério Público Estadual), que verificou indício de irregularidade em contrato firmado entre o município e a empresa Santo Show, responsável pelos shows da festa.
Em sua decisão, o juiz afirmou que o dinheiro público, que seria investido na festa, seja destinado para amenizar problemas no município, como falta de medicamentos e vias sem pavimentação.
Em razão desse cenário, a festa será realizada pela iniciativa privada. O evento ocorrerá nos dias previstos, 5 e 6 de maio, integrando a programação dos festejos de aniversário de Anastácio.
Conforme os organizadores, será dada prioridade para cantores e artistas regionais. A apresentação nacional, já confirmadaa, é da banda de forró Falamansa. A personagem Maria Quitéria, do ator Arce Correa, também fará uma apresentação na festa.
A festa representa, de acordo com os organizadores, fonte de renda importante para o município, com atração de turistas, fomento de trabalhos temporários e aquecimento de diversos setores, como o de táxi, hotelaria e alimentação.

sábado, 8 de abril de 2017

Governo teme que pressão contra reforma da Previdência atinja mais votações

Primeira surpresa ocorreu há duas semanas: a rejeição da PEC que permitia a cobrança de cursos de extensão e de pós-graduação em universidades federais

 
    
 postado em 07/04/2017 09:00 / atualizado em 07/04/2017 09:19
Evaristo Sá

Brasília -Apesar de ter acumulado vitórias importantes e de afirmar que tem a base mais sólida no Congresso nos últimos anos, há algumas semanas o Planalto acendeu o alerta em relação ao apoio dos deputados. O receio é de que a pressão contrária à reforma da Previdência contamine outras votações importantes.

Ao recuar na proposta que mexe com a aposentadoria da população, o governo não só tenta garantir os votos para esta medida, mas também leva um sinal ao Congresso de que o respeita, para acalmar os ânimos.

A primeira surpresa ocorreu há duas semanas: a rejeição da PEC que permitia a cobrança de cursos de extensão e de pós-graduação em universidades federais — a oposição venceu por quatro votos e barrou a proposta. E ontem, mais um alerta: a flexibilização do texto da reforma da Previdência ocorreu no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados adiou, mais uma vez, a votação do projeto de lei que cria o Regime de Recuperação Fiscal (RRF) para socorrer os estados com grave crise financeira.

O governo tenta, há três semanas, votar o projeto da renegociação, nomeado PLP nº 343/2017, enviado ao Congresso em 23 de fevereiro. A matéria contém o artigo do projeto de lei de renegociação da dívida dos estados, vetado anteriormente por Temer por ter sido totalmente desfigurado pela Câmara, que retirou as contrapartidas que o governo havia incluído para socorrer as unidades da Federação.

Com o reenvio do projeto, voltaram as contrapartidas, como a proibição de concessão de reajustes aos servidores. O ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, negou que o governo tenha perdido por causa do adiamento da votação do projeto dos estados. Assessores de Temer afirmam que o adiamento para a próxima semana havia sido acertado, na quarta-feira, com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), diante da falta de quórum da base aliada e da oposição para aprovar o projeto.

Por mais que tentem minimizar os sintomas, o alerta no Planalto já estava aceso desde a votação da terceirização irrestrita que, apesar de ter sido aprovada, passou com um placar apertado: 231 a 188, o que não seria suficiente para uma PEC, em que são necessários o apoio de dois terços da Casa, ou seja, 308 votos. A principal preocupação é em relação à reforma da Previdência, que sofre resistência até de fiéis aliados do Executivo, porque mexe na aposentadoria da população e pode ter um impacto negativo nas urnas.

O governo sabe que está sob fogo cruzado, mas tem consciência de que agora entra na fase de apuração, em que os parlamentares refletem e tendem a mudar de voto. A flexibilização da reforma serve também como um “afago”, um sinal de “respeito” ao Congresso. Interlocutores do Planalto, no entanto, garantem que a base não abandonou o governo, mas que a reforma, com todas as suas dificuldades, pode contaminar outras matérias. Por isso, o próprio presidente passou a intermediar a negociação com os parlamentares.

Temer busca evitar momentos pelos quais passou Dilma Rousseff, que perdeu a base no Congresso, até ser afastada. A forma como ambos negociam é diferente. O presidente tenta aplicar o mantra do “diálogo” presente em todos os seus discursos e conversa diuturnamente com parlamentares. 

“Estava insustentável antes. Agora, vamos conversar para ver como lidar com a nova proposta”, comenta um aliado que prefere não se identificar. Apesar dos indícios da fragmentação na sustentação da base, o líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), nega que há rupturas ou problemas de relacionamento. Segundo ele, inclusive, o governo já tem garantido o número de votos necessários para a aprovar a PEC da Previdência, mas não detalhou a quantidade.

Fator Renan

Além de lidar com as medidas consideradas impopulares, o governo também se depara com ataques de um correligionário, o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Considerado até pouco tempo um dos pilares da estabilidade do governo no Congresso, Renan deu um cavalo de pau na estratégia política e passou a fazer, desde o começo do ano, duras críticas à gestão Temer, dizendo que o presidente propôs medidas amargas que “atingem o povo trabalhador”.

A mudança de postura se deu, na verdade, para agradar ao eleitor de Alagoas, com vistas às eleições de 2018, e a possibilidade de perda do foro privilegiado em caso de derrota.

A primeira ameaça de prejudicar o Executivo no cotidiano do Senado se deu semana passada, quando ele começou uma articulação a fim de indicar o senador Roberto Requião (PMDB-PR), um dos críticos mais ácidos de Temer, para relatar a reforma da Previdência.

Interlocutores do Planalto tentam minimizar a influência de Renan, justificando que ele é apenas um em meio a 81 senadores e que claramente objetiva aumentar a popularidade em Alagoas, reduto nordestino petista.

Terceirização


Apesar de ter conseguido aprovar projetos difíceis, como a PEC dos gastos e a regulamentação da terceirização, o governo vive desafios para aprovar medidas no Congresso.

O governo conseguiu aprovar o projeto que regulamenta a terceirização irrestrita, mas o placar apertado chamou a atenção do Planalto: foram 231 votos a favor e 188 contrários. Se fosse uma PEC e precisasse de apoio de dois terços da Casa, como é o caso da Previdência, não seria aprovado.

A votação acendeu alerta amarelo para a Previdência. Além disso, o governo terá que incluir salvaguardas aos trabalhadores na reforma trabalhista

Reforma da Previdência

Nos corredores da Câmara, diz-se que o governo não chegaria, se a proposta fosse apreciada hoje, a um terço dos 308 votos necessários para aprovar as mudanças na Previdência. Isso mesmo depois de o Planalto recuar e retirar servidores estaduais da reforma.

Pós-graduação paga


O governo era favorável à PEC que autorizava a cobrança por cursos de extensão e de pós-graduação nas universidades federais. Perdeu, no entanto, por pouco: fez 304 dos 308 votos necessários.

Renegociação dos estados

Há pelo menos três semanas, o Executivo tenta aprovar medidas para ajudar estados onde as contas públicas estão em calamidade, como Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Ao ver que o texto do governo não passaria, Rodrigo Maia não botou a matéria para votação na quarta-feira

quarta-feira, 5 de abril de 2017

PREFEITURA ANASTÁCIO 



EDSON PAIM NOTICIAS

http://edsonpaim.com.br/

terça-feira, 4 de abril de 2017

PREFEITURA ANASTÁCIO 



EDSON PAIM NOTICIAS

http://edsonpaim.com.br/